I love my followers!

sábado, 20 de outubro de 2012

Sete Erros De Postura Durante uma Entrevista de Emprego





O ambiente da entrevista de emprego não é dos mais confortáveis. Por isso, muitas pessoas acabam cometendo erros que podem valer a vaga. Outro forte motivo para que os deslizes apareçam é o nervosismo. 
Lembre-se de que o corpo também fala e é preciso prestar atenção não só naquilo que você fala, mas também na postura que tem durante a entrevista. “Uma forma de perceber insegurança é através da voz trêmula, quando a pessoa senta muito no canto da cadeira ou quando ela não olha nos olhos, por exemplo. A antipatia é percebida quando a pessoa balança a cabeça em negativa, vira os olhos em sinal de protesto ou fica tão retraída a ponto de ficar instransponível. E o temido nervosismo aparece quando a pessoa gagueja, usa vícios de linguagem, transpira demais, fica com a voz embargada ou os olhos mareados”, conta Cíntia Bortotto, consultora de RH. 

Veja a seguir os erros mais comuns durante as entrevistas de emprego:

1. Agir com arrogância  

Durante a entrevista, não é legal parecer uma pessoa que se basta ou que é a melhor de todas. “Para concorrer a uma vaga, é positivo demonstrar que se tem autoconhecimento suficiente para saber onde pode contribuir e o que pode melhorar, afinal ninguém se basta”, avalia Cíntia. 

Quando o candidato se apresenta com ar prepotente e vaidoso, acaba criando resistências e antipatias desnecessárias. “As demonstrações são fáceis de identificar: cabeça levantada, olhar vindo de cima para baixo, gestos medidos e artificiais e preocupação excessiva com a aparência são algumas delas”, enumera Polito.

2. Esconder-se do entrevistador
Nem se gabar demais, nem se esconder demais. Não se preparar para a entrevista e não saber trazer bons exemplos de comportamento, ou traduzir sua experiência em resultados, são pontos negativos. “Se o candidato se apresentar de maneira tímida, desconfortável e hesitante pode dar a impressão de pessoa frágil, que não tem domínio sobre o que fala e, consequentemente, compromete sua credibilidade”, diz Polito.
Os sinais, nesse caso, são vários, como fugir constantemente com os olhos, esfregar as mãos nervosamente e cruzar e descruzar as pernas.

3. Falar demais e se perder nas respostas
Fale de maneira natural e espontânea. “Alguns candidatos falam muito e acabam se perdendo na resposta e cansando o entrevistador, que tem um tempo para falar com a pessoa. Isso pode contar pontos negativos”, diz Cíntia. Por isso, mostre energia, envolvimento e interesse ao falar. “Mas não é para subir no palanque e fazer um discurso. Lembre-se sempre da naturalidade”, salienta Polito.

4. Parecer indeciso
Não mostre que você deixou-se levar pela vida. “Isso dá a entender que você teve escolhas conscientes. Este tipo de candidato demonstra que aceitou de bom grado tudo o que a vida lhe ofereceu, mas não tomou a frente fazendo escolhas, e, em geral, não tem um plano do que quer para a sua carreira”, ressalta Cíntia.

5. Usar vícios de linguagem
Eles são típicos dos candidatos que estão nervosos. Mas você deve evitá-los ao máximo. “Não use 'né?', 'tá?' ou 'entende?' ao final das frases. Expressões como 'tipo assim e 'na verdade' e outros ruídos desnecessários como ã e é nas pausas das frases também não são bem vistos”, diz Polito.
Cuidado com as palavras rebuscadas e redobre a atenção com os estrangeirismos. “Você pode usar termos técnicos, mas não exagere. Lembre-se de que o entrevistador não é especialista na sua área”, adverte Polito.
 
6. Abusar da presença de espírito
Usá-la em alguns momentos é até proveitoso, mas não tente bancar o palhaço. “Excesso de brincadeiras só atrapalha”, indica o professor. A ironia fina e o humor sutil demonstram inteligência e preparo intelectual. Piadas pesadas e de humor rasteiro estão vetadas, já que podem levar à vulgaridade
 
7. Mentir
É importante que você faça uma lista dos desafios profissionais que superou e dos resultados que conquistou. “Mas não minta, pois isso será uma grave falha na avaliação do recrutador”, aconselha Polito. Dê informações que o valorizem, mas não as invente.

*Fonte: Revista EXAME.com

4 comentários:

  1. Ótimas dicas!!! Eu fui analisada numa entrevista até durante o cafezinho que tive que aceitar. beijos,tudo de bom,lindo domingo!chica

    ResponderExcluir
  2. UMA VEZ FIZ UMA INTERVISTA DE TRABALHO AQUI,ONDE O ENTREVISTADOR ME PERGUNTOU COISAS QUE NÃO TINHA NADA A VER COM A INTERVISTA.

    BACI

    ResponderExcluir
  3. OI ,acabei de ver seu blog na lista das blogueiras unidas,e ja vim
    conhecer ,tudo lindo por aqui já estou te seguindo e com certeza virei visitar sempre.Aproveito pra convida-la a conhecer e seguir meu blog tb .Te espero la,bjus Lu
    http://lusilvaa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir